quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Matou a pau

Essa é do Miguel do Rosário:

"É preciso olhar em volta, respirar fundo e, pela primeira vez na vida, ter coragem de botar seus derradeiros neurônios para funcionar com independência. O povo pobre é ignorante, mas tem um estômago do mesmo tamanho e peso que o do fulaninho formado na Uniban. E qualquer alquimista contemporâneo sabe que uma decisão tomada com base no vazio estomacal pode ser tão ou  mais inteligente do que outra feita sob efeito do excesso de lagosta e champagne."


Leia o texto na íntegra.

6 comentários:

Rubinho Osório disse...

É preciso ser cético. Examinar tudo e reter o que é bom, verdadeiro (alguém já escreveu isso...).
Como, por ex., afirmar que o Evo faz um bom governo, etc e tal. Talvez o Miguel saiba por informações fidedignas. Mas, eu não sei! Não posso avaliar um governo a partir de informações de segunda mão.
O melhor de tudo é que vc levou só 3 dias entre uma postagem e outra. Viva!!!

Hernan disse...

Hehe. Minha frequência de postagem é tão regular quanto as chuvas no sertão do nordeste.
É difícil para nós, à esta distância, avaliarmos uma situação tão complexa como a da Bolívia. Acho que o mérito do texto do Miguel é mostrar que a opinião dos centros de poder econômico, expressa nessas pesquisas de opinião de voto que dão a vitória ao candidato que mais lhes agrada, não tem tanta eficácia. O eleitorado decide de acordo com o que mais lhe convém em termos mais práticos possíveis. No caso da Bolívia, a decisão foi com base no "estômago". Pela interpretação do Miguel, Morales tem ao menos colocado comida na mesa de um povo que sofre há séculos sob o jugo de minorias ricas.
No Brasil creio que acontece algo parecido. Será inevitável a comparação entre os governos Lula e FHC. O grosso do eleitorado olhará para o próprio estômago e para o próprio bolso a fim de decidir. Esse número de cerca 35% de intenções de voto que o Serra tem agora não se sustenta. É o que acredito.

Danilo Havana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Danilo Havana disse...

Não entendi essa de fulaninho formado na Uniban?

Danilo Havana disse...

e o blog tá branquinho em rapaz...

que beleza!

Hernan disse...

Eu acho que o Miguel quis usar o carinha da Uniban como representante da classe média paulista simpatizante do PSDB e lulofóbica.